Consumir biodiversidade para preservar o meio-ambiente?

Bela Gil explica a relação entre consumir produtos da floresta e mantê-la em pé
Consumir biodiversidade para preservar o meio-ambiente? Bela Gil explica. AgroReset.

Como quem mora na cidade grande pode ajudar a manter a floresta amazônica (e outras) em pé? Uma possibilidade é consumir produtos da biodiversidade amazônica. Quem defendeu a ideia foi Bela Gil, chefe de cozinha e apresentadora de TV, durante o painel Flying Rivers of the Amazon, organizado pelo AgroReset para o Water World Forum For Life.

“É muito importante diversificar o nosso prato. Eu gosto muito de usar os produtos da Amazônia. Babaçu, cumaru, açaí, cacau… Enfim, vários produtos que são frutos do extrativismo local. Que não são só maravilhosos para a nossa saúde e gostosos, mas importantíssimos para a gente manter a floresta em pé”.

Bela explica a relação:

“Quando a gente consome uma castanha-do-Pará, um babaçu, estamos apoiando as pessoas e povos originários daquele território a se manterem nele, a viverem bem a partir daquilo que eles produzem, que coletam na sua região. Isso faz com que seja mais difícil alguém derrubar tudo e transformar em monocultura ou pasto. Consumir produtos da Amazônia é uma forma de ajudá-la a sobreviver e a se manter de pé”.

O que Bela Gil defende está inserido no contexto da bioeconomia, o ecossistema de negócios sustentáveis a partir dos ativos naturais da biodiversidade, serviços ambientais, terra, clima e água. A bioeconomia, com foco no agro sustentável, é o caminho fomentado pelo AgroReset para colocar o Brasil na liderança da agenda global do desenvolvimento sustentável.

Esse é também o meio do caminho entre a exploração insustentável da floresta (por meio do desmatamento) e mantê-la intocada. A bioeconomia é uma maneira de gerar desenvolvimento econômico na floresta com sustentabilidade e impacto social.

Bela lembra que a floresta amazônica pode ser manejada sustentavelmente e que isso não é uma novidade: “os povos originários já fazem isso há milhares de anos”. De fato, como explicado em outra matéria, a floresta amazônica, tal como ela é hoje, é resultado de práticas semelhantes aos Sistemas AgroFlorestais (SAFs) executadas pelos povos pré-colombianos há mais de quatro mil anos.

Assista abaixo a fala completa de Bela Gil no painel Flying Rivers of The Amazon:


Foto: Extração de castanha do coco babaçu no quilombo em Alcântara, Maranhão (Adobe)

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

conteúdos relacionados