MAPA registra 20 defensivos de controle biológico

Produtos biológicos crescem no Brasil devido a ganhos ambientais, redução de custo e aumento de produtividade
MAPA registra 20 defensivos de controle biológico. Foto: Processo de controle de qualidade de inoculantes realizado na Embrapa Agrobiologia. agroRESET.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) informa que em 25 de maio registrou 52 defensivos agrícolas, sendo 20 de controle biológico, dos quais 13 para uso na agricultura orgânica. Com esse ato, o ministério já registrou 36 produtos de baixa toxicidade para o controle de pragas em 2022.

Segundo o MAPA, “todos os produtos registrados foram analisados e aprovados pelos órgãos responsáveis pela saúde, meio ambiente e agricultura, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais”.

Conheça os defensivos de controle biológico registrados pelo MAPA

Entre os principais produtos registrados estão:

  • Tetrastichus howardi: para controle da broca-da-cana-de-açúcar (Diatraea saccharalis) e da lagarta de cor parda (Thyrinteina arnobia). Esta última é uma das principais pragas do eucalipto atualmente;
  • Mistura de Pseudomonas chlororaphis com Pseudomonas fluorescens: pa controle da cigarrinha-do-milho (Dalbulus maidis), uma prioridade para a agricultura;
  • Dois produtos microbiológicos com a mistura de Bacillus amyloliquefaciens, Bacillus velezensis e Bacillus thuringiensis: também para controle da cigarrinha-do-milho 

Especificamente para uso na agricultura orgânica, foram registrados, por exemplo: uma mistura de Trichoderma harzianum com Trichoderma viride (para controle do fungo Rhizoctonia solani e do fungo Fusarium oxysporum), Trichoderma asperellum, Bacillus thuringiensis var. kurstaki, um isolado de Beauveria bassiana, um isolado de Metarhizium anisopliae (isolado IBCB 425) e Baculovírus Spodoptera frugiperda (SfMNPV).

Uso de biológicos cresce no Brasil

Além de serem mais sustentáveis do que defensivos químicos, os biológicos têm o potencial de reduzir custos e aumentar a produtividade das lavouras. Os resultados que vêm sendo publicados por empresas do agro e por instituições de pesquisa estimulam cada vez mais produtores a adotarem esse tipo de produto.

Em entrevista exclusiva ao agroRESET, Luiz Pannuti, Chief Product Officer da Solubio, empresa que fornece insumos biológicos a produtores rurais, afirmou: 

“Pela experiência que a gente tem com os produtores que entram para utilizar a tecnologia, nenhum sai. É um caminho que uma vez que você conheceu e viu que dá certo, a tendência é que você continue e só aumente. É uma oportunidade muito grande que a gente está enxergando. E que vai dar um salto muito grande para a agricultura nacional.”

Com informações do MAPA.


Foto: Processo de controle de qualidade de inoculantes realizado na Embrapa Agrobiologia (Embrapa).

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

conteúdos relacionados