Sistemas orgânicos mantêm a saúde do solo

Agricultura orgânica é um dos caminhos para proporcionar sustentabilidade ao campo
agricultura orgânica AgroReset
  • Os Sistemas Orgânicos (agricultura orgânica) podem ser considerados uma evolução da agricultura tradicional ao se comprometer com a resiliência do solo, a manutenção da biodiversidade e a saúde dos alimentos e do consumidor;
  • Podem também ser considerados o meio do caminho entre a agricultura tradicional e os Sistemas Agroflorestais (SAFs).

Ao lado da bioindústria florestal e dos sistemas agroflorestais (SAFs), os sistemas orgânicos fazem parte dos segmentos defendidos pelo AgroReset para proporcionar mais sustentabilidade ao agronegócio sustentável e posicionar o Brasil como protagonista do desenvolvimento sustentável. Entenda o que isso significa.

O que são Sistemas Orgânicos?

Popularmente conhecidos como agricultura orgânica, é uma evolução da agricultura tradicional. No sentido de que está comprometida com a sanidade da produção de alimentos, a saúde do consumidor, a conservação e resiliência do solo e a restauração e manutenção da biodiversidade.

A definição de sistemas orgânicos surgiu entre os anos de 1925 e 1930 quando o botânico inglês Albert Howard alertou para a importância de se utilizar matéria orgânica para a preservação do solo.

Sua principal diferença para a agricultura tradicional é a ausência do uso de agrotóxicos e de fertilizantes químicos. Em vez disso, utiliza fertilizantes naturais, adubo orgânico, além do manejo da vegetação nativa, rotatividade de culturas, uso racional de água, entre outras técnicas que proporcionam sustentabilidade à produção e tornam o solo resiliente, não esgotando os seus recursos.

Houve uma explosão dessa forma de plantio nos Estados Unidos a partir de 1970. No Brasil, ela começou a ser praticada na década de 80 e, nos últimos anos, tem ganhado mais popularidade, devido à preocupação dos consumidores com a sua saúde e com a preservação da natureza.

O meio do caminho entre a agricultura tradicional e as Sistemas Agroflorestais

Os sistemas orgânicos não chegam a revolucionar a maneira de se produzir alimentos e segue, em linhas gerais, a mesma lógica da agricultura tradicional. Seu grande diferencial é adotar técnicas sustentáveis que conservam o ativo do solo, tornando-o resiliente. Assim sendo, são o meio do caminho entre o agro tradicional e os Sistemas Agroflorestais (agroflorestas).

Os Sistemas Orgânicos possuem dois pontos em comum com a agricultura tradicional:

1.       Adotam a monocultura para a produção de alimentos;

2.       Requerem defensores agrícolas e fertilizantes, com a diferença de que o agro orgânico opta por opções naturais, mais saudáveis e não poluentes

Por outro lado, possui um ponto em comum com os Sistemas Agroflorestais que é a preservação do solo pelo uso de substâncias orgânicas para a nutrição das plantas.

Sistemas Orgânicos Vs. agricultura tradicional

Entenda, de forma resumida, as principais diferenças entre os dois métodos.

Diferenças entre Sistemas Orgânicos (agricultura orgânica) e agricultura tradicional.

Principais desafios dos Sistemas Orgânicos

Entender os desafios também significa compreender as oportunidades para esse setor. Cada desafio e dificuldade representa um nicho para quem desenvolve soluções inovadoras.

Escala e preço

Esse é o grande desafio. Nos sistemas orgânicos, as produções costumam ser menores do que na agricultura tradicional. Além de dificultar a escala, esse fato eleva o custo final do produto, que pode ser até 40% mais caro do que os não-orgânicos.

Falta de fornecedores

A demanda por orgânicos atualmente é alta, mas a oferta ainda é baixa. Principalmente a de alimentos orgânicos processados, pois nem todos os consumidores querem produtos in natura.

Falta de informação

Ainda se informam pouco os benefícios da produção sem agrotóxicos e com a adoção de técnicas de cultivo sustentáveis. Uma comunicação eficiente da qualidade dos sistemas orgânicos pode ajudar a gerar mais demanda e, também, com que empreendedores desenvolvam soluções para escalar o setor.


Foto: Agricultor com solo na mão (Sistema CNA / Senar, editado por AgroReset)

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

conteúdos relacionados